sábado, 31 de janeiro de 2009

AOS COSTELETS DA NOITE




AOS ALUNOS DA NOITE

Eu também estudei à noite, mas já em Lisboa, no Instituto Comercial, onde andava muita gente da Escola do meu tempo, entre eles o Justino do Banco Borges & Irmão e um bife, o Samuel que jogou baskett no Farense.

Mas estudar à noite é complicado e se se é casado, então, a coisa ainda é pior.

O que me trás aqui hoje a falar disto é enaltecer o trabalho de muita qualidade, quer no foro académico quer no foro profissional, desenvolvido pelos costeletas NORBERTO CUNHA e JOSÉ DOMINGOS BARÃO, a quem peço que não se esqueçam que o nosso almoço anual é em 13 de Junho em VILAMOURA e gostava de vê-los lá, porque são duas referências enormes do ensino Técnico Profissional leccionado na nossa inesquecível ESCOLA
O Norberto é licenciado em Filosofia e um excepcional homem das letras com obras publicadas, enquanto o Zé Barão, é Contabilista e licenciado em Gestão de Empresas, com a especialização de Revisor Oficia de Contas
Foi Jorge Tavares que disse: “ Nós fomos uma geração de Oiro” e para isso muito contribuiram, com o seu esforço, o Norberto e o Barão.

À MALTA DA NOITE

Parabéns ó rapaziada que à noite lutaram
Na Escola, onde chegavam já cansados
Mas todas as dificuldades ultrapassaram
E isto é tanto para os solteiros ou casados

E como reconhecimento dessa dedicação
O blogue “os costeletas” envia com amizade
Um grande abraço a todos, de consideração
De muitas felicidades e muita, muita saudade.

Norberto Cunha da tia Glorinha familiar
E também do Luís Cunha, amigo singular
E no fundo amigo de toda a estudantada

Mais o Zé Barão fizeram meritória obra
E deram à nossa Escola motivos de sobra
Para que ela seja aqui sempre recordada

Texto de
João Brito Sousa

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

TERRAS PEQUENAS GRANDES COSTELETAS



TERRAS PEQUENAS e GRANDES COSTELETAS

SÍTIO DA AREIA e

O costeleta ANTÓNIO INÁCIO GAGO VIEGAS, é Licenciado em CONTABILIDADE pelo Iscal.
Dedicou, profissionalmente, grande parte do seu tempo ao apoio contabilístico das empresas suas clientes, pela via da sua empresa de contabilidade, desde que se radicou no ALGARVE,

Foi professor de Contabilidade, na Escola Comercial e Industrial de FARO.

Foi TOC em várias empresa sediadas no ALGARVE..

Ainda estudante em LISBOA, foi um vendedor de computadores PHILIPS fazendo parte daquela equipa denominada “O HOMEM DA REGISCONTA”

É empresário de sucesso nos ramos da agricultura e da construção civil.

É um bom amigo.

É natural do sítio da AREIA, da freguesia de ESTOI..

Texto de
João brito Sousa

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

18º ANIVERSÁRIO DA NOSSA ASSOCIAÇÃO

INFORMAÇAO DA DIRECÇÃO

Caros Costeletas

O Almoço Convívio do Aniversário da nossa Associação, e a entrega do prémio, pelo "Patrono" do "Prémio Melhor Aluno de 2007-2008" será, como sempre, efectuado na nossa Escola, este ano no dia 4 de Abril de 2009.
O prémio será entregue no auditório da Escola onde será, também, com todo o mérito, homenageada uma ilustre Costeleta.
Esta decisão foi tomada na reunião da Direcção efectuada no dia 28 deste mês de Janeiro.
Recordemos que o "Patrono" nomeado é o ilustre Costeleta Professor Joaquim de Sousa Almeida Lima.
-----------------
Também podemos informar que, na mesma reunião, foi decidido efectuar o Grande Almoço Anual no Hotel D. Pedro Golf em Vilamoura, no dia 13 de Junho próximo. A reserva está confirmada pela gerência do Hotel.
Nota:- O preço, por pessoa, destes dois almoços convívios está a ser ponderada pela Cantina da Escola e pela gerência do hotel. Informaremos.
A sessão solene no Auditório da Escola, pelas 15 horas, é de entrada livre.
O Secretário - Rogério Coelho

ANIVERSÁRIO DE ASSOCIADOS COSTELETAS


Fazem anos em FEVEREIRO

1-José Inácio de Brito. 2-Maria Emília Romano Escorrega Gonçalves Pêgo; Maurício Severo Domingues. 3-Heraclides Cabrita Silva. 5-Maria Célia Rodrigues da Encarnação Revez. 6-Nair Ribeiro da Silva. 7- Eduardo Romualdo E. Mar­tins; Manuel Inocêncio da Costa. 8 – Edmundo Gomes Fialho. 9- Maria José Fernandes; Rosa Ana Maria Machado Martins. 10-Joaquim Cláudio Gonçalves; Maria Isabel Dias Pereira; Zélia de Jesua Silva; Natália Joaquina das Dores Pires Caetano. 12 - Maria Suzete Amaro Pavão Romeiro Casaca. 13-Alberto Concei­ção Trindade. 14-Maria da Conceição B. Lourenço Dias; José Rosário da Silva. 15- Natália Maria Soares Marum; Maria Filipe Vieira de Sousa Guerreiro.

OS NOSSOS PARABÉNS
Pesquisa e colocação de Rogério Coelho

PARABENS À MARIA JOSÉ FRAQUEZA.


Data: Faro, 28-01-2009

De: Elos Clube de Faro - Associação Cultural "Em defesa da Língua e Cultura Portuguesas"

Pela presente junto se envia Nota de Imprensa da qual muitoagradecemos a sua divulgação/publicação:

NOTA DE IMPRENSA================MEDALHA DE MÉRITO "EDUARDO DIAS COELHO" ATRIBUÍDAS AO ELOS CLUBE DEFARO E CASA-MUSEU MARIA JOSÉ FRAQUEZA

O ELOS CLUBE DE FARO foi agraciado com a Medalha de Mérito "Eduardo Dias Coelho", por ocasião do seu jubileu de prata, concedido pelo ELOS CLUBEDE SANTOS - CÉLULA MATTER, BRASIL.

Nesta mesma data, a CASA-MUSEU MARIA JOSÉ FRAQUEZA, da nossa Companheira MariaJosé Fraqueza, foi também agraciada com a Medalha de Mérito"Eduardo Dias Coelho", por ocasião da sua inauguração.

Tal distinção, que muito nos honra, faz-nos desejarcrescer e consolidar novos projectos, com redobrada motivação edeterminação, cientes da responsabilidade de honrar todo o movimentoelista e em particular o ideal elista de Eduardo Dias Coelho*, nosso fundador.

* Eduardo Dias Coelho - O Movimento Elista foi fundado em 8 de Agosto de 1959pelo Dr. Eduardo Dias Coelho, médico da Sociedade Portuguesa de Beneficiência emembro do conselho deliberativo da Associação Atlética Portuguesa, emSão Vicente, Brasil, no local denominado Prainha, localizado defronte da enseadaonde ancoraram as caravelas de Martin Afonso de Souza.

O Elismo é um movimento de congregação de valores humanos dispostos ou, pelos menos,predispostos a defenderem a aliança e a promoverem a boa compreensão dos povos delíngua portuguesa. Veículo de propagação e de defesa dos ideais que formam acomunidade lusíada é também o Elismo, por decorrência e paralelamente,fonte de alta confraternização de quantos nele se integram.

Tendo por trilha oidioma português, pois, fadado a se expandir por lugares os mais diversos e distantes,sejam quais forem as suas peculiaridades locais próprias e típicas, o Elismo é umsímbolo de manutenção e de garantia da sobrevivência, em qualquer lugar do mundo,de princípios e ideais que a língua mater conferiu e consolidou nos homens detodos os tempos.

A Direcção do Elos Clube de Faro

recolha de
João Brito Sousa

CORREIO COSTELETA


Caro amigo
recebido MADEIRA GUERREIRO

Aí vai uma história já publicada no jornal “ O Costeleta” de Fev/2001.

A publicação no Blogue será uma homenagem que presto a esse grande amigo que infelizmente já não se encontra entre nós Franklin Marques


NAQUELE TEMPO…

Na tranquilidade e pasmaceira do aquém-Caldeirão, em pacata localidade que nada agitava, por aqui nos quedávamos anos inteirinhos, vendo passar o “rápido” ou a “carreira” que levavam os mais afortunados até à mítica Lisboa…

Quantas vezes uma breve deslocação a localidade vizinha, não constituía, por tão esporádica, uma singular aventura? Hoje, o Mundo inteiro está ali ao virar da esquina. À velocidade do desejo, quase num ápice, nos encontraremos no lugar apetecido. Mas, naquele tempo, mercê de condicionalismos entretanto ultrapassados, tudo é diferente. (É preciso não esquecer que estávamos no século passado…). Então, a gente localizava, certeiramente, com um infalível apontar de dedo, num mapa de Portugal, cidades e vilas, rios e serras.

E até conhecíamos ( de cor! ) alguns dos seus aspectos paisagísticos, económicos e sociais, da forma que os manuais de estudo os descreviam.

Porém, o conhecimento objectivo, real e concreto, estava longe de ser uma realidade. Viajar era, pois, um objectivo fortemente acalentado. Mas eram tantas as dificuldades…

Daí que a “Excursão” , uma das actividades de encerramento do Curso, fosse sempre aguardada com uma expectativa que superava, em muito, as de outras realizações.

Para não fugir à regra, a excursão de finalistas do ano de 1966/67 foi uma saborosa realidade…

Até porque uma deslocação ao norte do País era um privilégio de que raros se poderiam ufanar.

Ora, o Manuel Madeira Guerreiro, finalista naquele ano lectivo, fez-nos chegar, como apontamento evocativo daquela viagem, o recorte do jornal «O Comércio do Porto» e a foto de grupo que inserimos, na certeza de que muitos gostarão de aí se “reencontrar” e “reviver” dias por certo inesquecíveis.

Aqui ficam !

Franklin Marques

Dizia o recorte do Jornal :

Estudantes da Escola Industrial de Faro visitaram «O Comércio do Porto»

Duas dezenas de alunos da Escola Industrial de Faro, que andam em visita de estudo pelo País, visitaram ontem à noite as instalações de «O Comércio do Porto», podendo observar o funcionamento e técnica dos serviços.

Eram acompanhados pelas professoras srªs D.Irenice Machado e D. Maria Filipe Macário e pelos professores srs. dr. Amílcar Quaresma e dr. Telo de Queirós, este acompanhado por sua esposa srª D. Olga Telo Queirós. Os estudantes algarvios, com muito interesse pela organização de um jornal diário, apreciaram o mecanismo técnico, levando consigo as impressões do esforço e coordenação dos elementos.

Os estudantes de Faro seguem hoje de manhã para Coimbra, com passagem por Aveiro, seguindo depois o rumo da sua província.

PS. - AMANHÃ VOU COMENTAR ESTE ACONTECIMENTO.

recolha de
João Brito Sousa

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O COSTELETA ZÉ GONÇALVES







ARRIBA ZÉ.

O estado de saúde do Zé Gonçalves .

O Zé sofreu um AVC e foi para o Hospital. Devido ao seu estado, os médicos decidiram enviá-lo para Lisboa. Mas não chegou a ir porque sofreu outro AVC, muito forte e encontra-se em coma..
Recordando, talvez o seu melhor jogo.
FARENSE 6 MONTIJO 1

Nessa asa esquerda do Farense dessa tarde, jogou-se futebol de primeira água. Não sei se se lembram desse jogo. Parece que ao fim da primeira parte, o Farense perdia por um a zero.

GONÇALVES e COUTINHO pintaram a manta.

O ZÉ GONÇALVES, era um jogador tipo Rocha da Académica, Hernãni do Fcporto, Arnaldo da CUF, Travassos Sporting, o Deco da actual selecção, um Luís Figo com menos remate, Faia do Barreirense e por aí fora.

Jogava com a camisa dez, habilidade às carradas, uma vez, num jogo com o Sporting no S.Luís, para a Taça de Portugal, num metro quadrado de terreno, de costas para a baliza, passou a bola por cima do Péridis e foi buscá-la no outro lado.

Golos poucos, habilidade muita, abrir para a cabeceira ... fantástico ...

Era o futebol espectáculo.

Texto de
JBS

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

CORREIO COSTELETA

PARA O EDMUNDO FIALHO



(edmundo fialho)


VIVA BRITO,

1 - Estou contente, por teres gostado da história.
R: Gostei muito, é muito gira, manda mais, é um grande prazer receber-te aqui.
Muito obrigado

2 - Qualquer dia, mando-te outra, curta, de mim e do Anibal, quando iamos almoçar aos "Dois Irmãos" e "Nortenha".
R: Muito bem. Conheci isso tudo.

3 - Também te mandarei mais umas fotos, com ele, já conhecidas aí, pois foram publicadas na Revista Visão, há uns anos passados. As mesmas foram tiradas com a minha "Kodak, na Alameda e na Escola, esta ultima, com a D.Deolinda.
R: Brilhante, manda que eu publico.

4 - Qualquer dia vou telefonar ao Teotónio, pois o sacana, pôs-me um olho à Belenenses.rsrsrs.
R. Estive agora afalar com ele, diz que o seguraram e não pôde fazer nada.

5 - Sobre o Idalécio: Ele viveu aqui uns anos, em Montreal, depois foi para Lisboa a fazer o Taxista. A mãe, se ainda é viva, mora em Faro. Ainda falei com ela e ele uma vez, mas depois perdi o contacto.
R: O telefone do Idalécio de FARO é o +351 289820891 TM É +351966382511. Falei com ele agora manda-te um abraço. O email é
idaleciojusto@hotmail.com

6 - O Carlos Alberto Magalhães, ainda me correspondi com ele.
R: Ele está aí no Canadá?

7 - Que será feito do Farinha ? E do Helder, irmão do Donaldo (o ferrinho) ?
R: Ludgero Farinha, Rua de Portugal, ALMADA
Tel. +351212740191
Helder Machado???... vive n Seixal.
José Mateus Ferrinho Pedro, SEIXAL.

8 - Lembraste do Armando (o Pató) que, cada vez que lhe chamávamos, pela alcunha, corria atrás da malta. Sei que faleceu, e a ultima vez que o vi, foi em Faro, em 1987, e comprei-lhe um cantaro de latão, que tenho aqui em casa..
R: O Armando Pató foi ponta de lança do Nexense. Jogava com o nº 8, tenho aí uma foto dele. Vou procurá - la e publicar.

9 - E o tal tipo, que vendia "Bolas de Berlim" em frente à escola, num cesto de verga, e que apregoava: "Há coisas que são boas e esta é uma delas" ?
R: Em frente da Escola era:
um tipo de Olhão que vendia ratos de mel,
o Manuel Russo dos bigodes que vendia sorvetes e pinhões,
o Coelhinho vendia igual mercadoria
e a senhora dos bolos.

O JORGE CACHAÇO manda-te um abraço.

Velhos tempos amigão ! Velhos tempos !

10 - Quando vires o
Zé da Horta, manda-te um abraço TM +351967006727

o Fernando Palma, escreveu um livro sobre Boliqueime. Não o tenho visto.

o Donaldo, vou saber dele.

11 - todos os que me conhecem, dá-lhes um abraço.
R: off course my friend

12 - Antes que me esqueça: Quando fui ao almoço, em Junho, no Hotel D. Pedro, encontrei lá, além do Cachaço ( que me inscreveu)

o Vitélio,
é reformado do Banco e Portugal e vive em LISBA

o Bernardo Estanco dos Santos,
É dos Braciais

o Armando,
o mosca, falei com ele há dias.

e o Seromenho, que é o primeiro, na penultima foto que te enviei, com o Anibal.

O Seromenho,
faleceu..

Recebe um grande e amistoso abraço do amigo sempre ao dispôr,
Fialho

VELHOS TEMPOS
Para o Edmundo Fialho


Os velhos tempos que falas ó Edmundo...
São os melhores que vivemos, ó rapaz!
Senão repara na cena no fim do Mundo
Que fizeste. Hoje talvez não fosses capaz...

Não falaste no Eusébio nem no Macedo
No Justo de Sousa nem no Jorge Barata
No Edmnénio que ao fonética meteu medo
Com uma pistola de plástico ou de lata ..

No Romualdo, no Zé Contreiras e no Sabú
No Rocha, Óscares, um de cabelo como tu
Na velha malta, que, como o J Tavares diz

Foi a geração de oiro que orgulhosamente
Fez carreira brilhante profissionalmente
Na banca e em muitas empresas do PAÍS


Manda-me o teu telefone, ok

E dispõe .
Ab.
JOÃO BRITO SOUSA

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

CORREIO COSTELETA DO CANADÁ


(da esquerda para a direita, ALEX, DONALDO, EDMUNDO E....)

CORREIO COSTELETA

From Edmndo Fialho

EDMUNDO, DONALDO & ALEX na serra.


O Alex era da minha Turma. Pertencemos à

Mocidade Portuguesa (O Franklin era o nosso Instrutor) depois passámos à
Milicia.Um dia, em 1954,salvo erro,partimos
de Faro, no comboio, acompanhádos do Libertário Viegas
(Comandante de Falange) direcção a Lisboa, Palácio da Independência, e depois
ao nosso destino, São Jorge, aonde erguimos os Bivaques.Uns dias mais tarde,houve uma Festa na
Batalha, a 3 ou 4 Kms do Acampamento.
Como esta era de noite,e nós não nos podiamos ausentar do mesmo, decidimos de o
fazer "secretamente" e lá fomos a pé.Éramos um grupo de cinco ou seis,
incluindo o Alex e o Donaldo.Iamos andando, nas cálmas, quando, de repente,
vimos os Faróis de um carro que, pela altura dos mesmos, deduzimos ser um "Jeep"
da Polícia Militar.Foi o pânico e o terror total, pois poderiamos ser presos.
Cada um correu por seu lado, a escondermos, numa escuridão de breu, nas
ribanceiras .

Quando o "perigo" passou, voltámos à estrada mas faltáva o Alex,
que dizia estar "prisioneiro" dentro de um silvado, e não podia saír.Como
tinhamos fósforos, a unica luz dispon!vel, começámos a acender, uns atrás dos
outros, para ver o moçe.Lá estáva ele enrolado nos bicos, sem se poder mexer.
Finalmente, com muito cuidado, lá o conseguimos libertar dos mesmos e, por
conseguinte, da horrivel posição em que se encontráva. Meus Deus ! Parecia o
Cristo na Cruz, com arranhões nos braços, pernas e cara.Voltámos de imediato ao
Acampamento, pela "porta do do cavalo" (os que foram militares, percebem este termo) e, no dia seguinte o Alex, estava pronto para as provas fisicas matinais. Nesse dia o Ronaldo, ganhou o 1º

Prémio, da subida à corda. Bons tempos!
Aqui vai a foto, dos Milicianos, a contar da esquerda para a direita: ? (não me lembro o nome) José Regino Evangelista Fialho, Eu, Donaldo e Alex, que Deus tem.
Aproveito para perguntar pelos: Hermenegildo, de Olhão, Epaminondas, de Faro (?) do Teotónio, irmão do Nuno, da Fuseta, do Hipólito, do Vargas e do Idalécio Justo.
Cumprimentos e abraços para todos os Costeletas e,muito em particular, o nosso amigo Brito.

MEU COMENTÁRIO

Os meus parabéns ó Edmundo pela tua colaboração. Tentei falar ontem à noite com o Justo mas não atendeu. Vou tentar falar hoje de novo.

Aí vai um abraço costeleta da malta em especial do Zé da Horta de Olhão

See you later

BRITO

domingo, 25 de janeiro de 2009

AS MENINAS DE VELASQUEZ


AS MENINAS DE VELASQUEZ

No quadro de Velasquez o que se sobressai são as meninas, melhor, a presença das meninas. Parecem quatro fadas. É verdade que se vê a tela, o próprio pintor e um cavalheiro lá ao fundo, sob a arcada de uma porta.

Mas o brilho do olhar das meninas suplanta tudo. Quatro crianças lindas que se encontram numa sala, desfrutando da sua condição de criança. Inocentemente crianças, cuja lugar no palco da vida ainda não foi encontrado, numa postura, mais parecendo andar à procura dele.

Descontraídamente belas. Dir-se- ia que têm direito a ser felizes, como toda a gente, aliás, mas estas meninas encantadoras não esperam da vida outra coisa.. Será que já suspeitam de algo que lhes possa vir a acontecer? Talvez estejam na expectativa, mas começam já a sentir que algo estará para vir.

Parece-me que é isto.

texto de
João Brito Sousa

CORREIO COSTELETA








RECEBIDO DO ANTÓNIO GABADINHO

Boa Noite,

Por avaria informática estive forçosamente ausente !!!

A propósito de : “Foram e serão sempre costeletas”

Pedro Manuel Vieira Alexandre João Vieira Alexandre (Alex)

Verifico numa das fotografias de grupo existentes no Blogue, estar presente o meu colega de turma ( se bem me lembro) de nome Pedro Manuel Vieira Alexandre e que por ter o cabelo ruívo, lhe chamávamos “o cabelinho”).
A minha dúvida é a seguinte: Não serão estes dois Costeletas irmãos e filhos do Sr. Zé Maria que nos anos sessenta era funcionário no Cinema Santo António? É que pela semelhança física e de nomes não devo estar enganado!
Quem sabe responder?

Cumprimentos

Agabadinho

OBRIGADO ANTÓNIO,

Viva,

NÃO, NÃO SÃO IRMÃOS.

1 - O costeleta da esquerda é o MANUEL POEIRA, um costeleta amigo, casado com a costeleta Avelina Cavaco, cunhado do José Manuel Cavaco igualmente costeleta, jogador de futebol do Olhanense e Farense, internacional júnior de futebol, árbitro da primeira divisão, sindicalista, bancário e funcionário público e às quintas feiras vai ao almoço dos nove à Fuzeta

2 - O costeleta da direita é de facto o ALEX, um costeleta amigo de todos os costeletas e filho do senhor Zé Maria do cinema da rua de Santo António..

3 - O Pedro Manuel vieira Alexandre foi meu aluno na primário quando estava a estagiar na Escola do Carmo com o Professor Amável.

4 - Havia anda um irmão do Alex, costeleta também, de nome Zé Maria, que abandonou os estudos e foi para França.

Texto de
João Brito Sousa

sábado, 24 de janeiro de 2009

ENTREVISTA COM







O COSTELETA ZÉ GONÇALVES

Fez parte dos corpos sociais da Associação dos Antigos Alunos da Escola Tomaz Cabreira, como vogal suplente no tempo do Presidente Franklin.

Era um costeleta dos quatro costados, gostava da Escola e da cidade.

Num dos almoços anuais em VILAMOURA, andava eu com a mania do jornalismo e o Zé deu-me esta entrevista que agora trago a lume.

1 – JOÃO BRITO SOUSA (JBS) - Zé, qual preferes, a escola ou jogar à bola: ?

JOSÉ GONÇALVES (ZG) – Por mim era só futebol Mas os meus pais disseram-me que a vida é outra coisa, que precisamos de estudar para arranjar um emprego e a bola fica para depois. Mas eu também gosto de estudar e de jogar `a bola, também, claro.

2 – (JBS) – Gostavas de ser jogador de futebol

(ZG) - Se isso desse para ganhar dinheiro suficiente para ter uma vida calma, sim. Mas o futebol é uma disciplina muito exigente. Temos de levar uma vida regrada, deitar cedo, alimentarmo-nos bem, nada de álcool, não faltarmos aos treinos, trabalhar, trabalhar e aos domingos jogar `a bola uma hora e meia. É preciso gostar muito. Gostava de ter um emprego na Câmara e jogar à bola no Farense...

3 - (JBS) Há bons jogadores de futebol na Escola?

(ZG) – Sim, muitos e bons jogadores na Escola, como o Malaia, o Caronho, o António Paulo, o Parra, o Poeira, o Zeca Basto, o Honorato Viegas, o Júlio Piloto, o Zé e o João Pinto Faria, o Julião, o Queixinho, o Orlando Bica, o António Barão, o Eugénio, o Jacinto Ferreira, Nuno Agostinho, o António Casaca, o Fontainhas, o Zé da Casa dos Rapazes, o Ribeirinho e Arcanjo... eu sei lá.. Fora da Escola temos o Tino, Zé Nanotas, o Atraca , o Capitolino, o Carneirinho, o Xico André, o Zé Bento, o Calotas, o Adanjo.... eu sei lá, tudo gente capaz de jogar no Farense

4- - (JBS ) – E professores?

(ZG) – Celestino Alves e Professor Américo os maiores. Depois disso os Mestres Mário, Damião, Olívio, Guerreiro e Mendonça. E depois os outros professores todos, o Zeca Afonso á cabeça...

5 – (JBS) – Um grande colega e um grande amigo.

(ZG) – Eu sou do tempo do Ladari, do Manuel Dias, do Ribeirinho, do Fantasia... esses é que são os meus grandes amigos. E os outros todos também.

6 – (JBS) .- A maior cena na Escola?

(ZG) – Quando o Fantasia soltou os pintassilgos na sala de aula.

7 – (JBS) – O contínuo mais porreiro.

(ZG) – O Armando do bigode preto. Era um bacano

8 – (JBS) Uma mensagem.

(ZG) – Paz e amor entre os homens

9 – (JBS) – Uma frase.

(ZG) - É muito difícil ser homem, do Hemingway

10 – (JBS) A vida é bela?

(ZG) – Para mim, é .
Texto de
JOÃO BRITO SOUSA

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

ELEIÇÕES NA ASSOCIAÇÃO COSTELETA

INFORMAÇÃO

Os Orgãos da nossa Associação terminaram o seu mandato.
Em Junho haverá eleições, durante o grande almoço anual.
Concorre! Apresenta uma lista para dirigir os destinos e dar continuidade à nossa Associação.
Não percas tempo, faz os teus contactos.

VOTOS DE MELHORAS PARA O ZÉ GONÇALVES; DE TODOS OS COSTELETAS

NINGUÉM SOUBE DIZER NADA...


Perguntei a colegas a saber como é
Qual era o estado de saúde do homem
Ou do jogador de futebol que foi o Zé
Só me disseram que não estava bem

Moçe , Zé, estás ligado o que é que doi
Só se sabe isso dum amigo doente?!...
Queremos saber causas o que é que foi
Estuda lá isso e diz cá para a gente ..

Mas o blogue costeleta não te esquece
Nesse local aí não se morre, adormece
O teu destino está nessa linha errada

E desculpa-nos lá, todos tão atarefados
Que parece nem estarmos preocupados
E da doença ninguém sabe dizer nada.


Com um abraço costeleta e força zé gonçalves.

http://oscosteleats.blogspot.com

colocação de
João Brito Sousa

O COELHO E O SEVERO


UMA DUPLA DE SUCESSO


Na foto reproduzida a cima
Estão dois mariolas costeletas
Vão passear vestidos de fato
escuro
Sapatos bem engraxados
e de meias pretas


E quem os vê a passar... dirão

Tão bem vestidos que eles vão...
Quem serão.??

Mas são dois rapazes sadios
Não têm caras de vadios
Mas de grandes senhores
Que vão à feira comprar gado

Eu conheço o mais carregado
Parece-se com o meu afilhado
Um tal Maurício Severo

E o outro grandalhão que vai
ao lado dele
È um grande brincalhão
Vê-.se logo pelo tom da pele.

Uma vez num baile de carnaval,
Trajou-se de mulher
E foi dizer para a sala que era homem

Não és não... disse a Vera
Não.. então apalpa aqui
Estava lá o ladrão

Alto lá e para o baile, está aqui
um carteirista
Não o percas de vista
Que grande mistério

Ao tirar a mascara, diz o patrão
Ah ladrão, és tu ó meu amigo
Ó h grande Rogério.

Texo de
João Brito Sousa

PAIXÃO E GABADINHO CANELAS


DÁ CÁ UM ABRAÇO Ó CANELAS

Uma história do Zé Paixão.

Nutro pelo Paixão uma enorme simpatia e respeito, porque o Zé foi meu prof. naquela coisa da Mocidade Portuguesa aos sábados à tarde. Foi sempre um amigo e um senhor. E um bom homem.

Vi e li no “O COSTELETA” de Setembro de 2008, aquela cena da chegada das máquinas e acho que a história é gira e merece aparecer aqui no blogue. Ora vamos lá..

Era o dia da chegada das máquinas e a malta, os alunos do Mestre Guerreiro do 3º ano do Curso de Carpintaria estava lá toda.

Eram:

ZÉ PINTO FARIA de Santa Bárbara de Nexe, 76 anos, Engenheiro de Electrotecnia e Maquinas, campeão nacional de Judo, defesa central ou defesa esquerdo quer na equipa da Escola quer na equipa de Juniores do Farense.

ESTANCO ..... J. ROQUE.... ZÉ PAIXÃO, VARGAS, falecido, CHICO PIRES,
Sportinguista e da Husqwarna, PLÁCIDO ... HONRADO, VENTURA GABADINHO CANELAS , TOMÉ.... , FAZENDA .. ,CAVACO ... PANITO...

E anda os alunos escuteiros JOÃO LEAL, J. TEIXEIRA, GRAVANITA, JOÃO SEBASTIANA, JOSÉ LUÍS, CANHITA, CANELAS, FERNANDO SOUSA, ZE QURINO,CASINHA, ALBERTO E JOÃO SANTOS

O senhor Director estava, estavam Professores e todos os Mestres. Chegaram as máquinas, coisa que muitos dos alunos nunca tinha visto nem fazia ideia do que era uma freza, um torno ou uma serra mecânica.

O Paixão ficou no grupo da serra eléctrica e mais tarde entrou no grupo do torno de madeira.. Decorria tudo normalmente, até que repentinamente, o ensaio teve de ser interrompido para averiguar donde vinham e qual a razão de uns ruídos estranhos e irritantes que soavam de todos os lados

Um dos técnicos de apoio que foram levar a máquina disse: A máquina precisa de ser oleada, o GABADNHO CANELAS disse, ZÉ PAIXÃO, falta saliva na correia e o Paixão encheu peito de ar e lá vai disto. E foi de tal maneira que o material do Zé foi metade para a correia e metade para o casaco do Canelas..

Avança o Mestre Olívio, e diz, Zé Paixão, a correia deixou de chiar mas o casaco do Canelas aumentou de peso Vá lá pedir desculpas ao Canelas, ó menino ZÉ.

E LOGO O Paixão, DÁ CÁ UM ABRAÇO Ó CANELAS!....

Adaptação de
João Brito Sousa

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

CORREIO COSTELETA


RECUERDOS DO ROMUALDO CAVACO

1 - Vou falar do Magistério:

"Mariguesa" - Trata-se de uma poesia com 50 anos. É do tempo da censura. Por isso o Mariguesa só se poderá sentir honrado por lhe recordarmos os 18 anos. Desde que saimos do Magistério não mais o vi.

Já o procurei na Mex.Grande, mas em vão.Essa poesia e mais umas 30 são da autoria de Zé Amaro, um colega dos lados de Tavira que julgo estar por aqui em Portimão, mas também já não o conheço.

Poderei logo que possível, do Magistério, lembrar-te o Prof. Amável Faria (poesia Manual do Lusito), Dr. Esquivel (poesia juramento de Hipocrates), Dr. Hortêncio (poesia Mostrengo - adapt.de F.Pessoa), Padre Santos (das anexas), etc. etc.Procura-seJoão Cuco - vive no Barreiro - haja quem o procure, se não, teremos que ir nós!!! ....Aleixo - ao que julgo o seu pai além de Advogado era também nosso prof. - de Constituição Política -

Vamos resistindo,
ROM

2 - Com um abraço venho recordar o Alberto Mariguesa, numa poesia de Zé Amaro:"HELLO MARIGUESA"
No recreio das Anexas (1)'Stava o Mariguesa,Dirigindo as Meninas (2)Era uma beleza ...Só pulando e saltandoTal qual o balé,Só faltava dançaro Jirofelé ...É ele que tem a chaveD'Associação (3)Dirigindo o Jornal (4)Dá lustro ao Patrão ...(5)Nunca mais tem juizoNem tão pouco vergonha,Precisava levarTrês 'stalos na fronha ...Adaptação da canção "Le Petit Japonais", por Zé Amaro.1) - Escolas Primárias efectivas no interior da Escola do Magistério, para Estágio de futuros professores.2) - Futuras Prf.Primárias.3) - Assoc.de Alunos do Mag.Primáriio.4) - "Escola Nova" - jornal da Associação de Estudantes do Mag.Primário5) - Nome por que era conhecido, entre os alunos, o Director do Magistério.Um abraço. Romualdo.

PLEASE NOTE MY FRIEND

a) – O João Cuco já não vive no BARREIRO e ninguém me sabe dizer dele.
b) – Esse Aleixo que dizes e de facto filho do Dr. Aleixo, nosso professor
e irmão da Graça ALEIXO Mas eu procuro notícias do ALEIXO da FUZETA.

JBS

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

VIVA A MALTA COSTELETA


NOTAS SOLTAS

Tenho levado aqui umas boas porradas por causa dos postes que aqui tenho colocado Mas lá me recomponho porque, pensando bem, já me tenho espalhado algumas vezes. Tenho pedido. uns trabalhos à malta mas nem sempre vem. A não ser do Romualdo Cavaco de resto... olha lá, aquela cena do Mariguesa é mesmo para publicar?.

Fiquei satisfeito do Edmundo Fialho dizer que me conhece muito bem, pois quando ele andava no segundo quarta do CGC com o Edménio e o Macedo eu andava no 1º 3ª com o Fontainhas e o Amarante.

Que será feito do ALEIXO e da BAPTISTA?. Às vezes lembro-me deles. O Aleixo nunca foi do meu ano mas andou ali por perto. A Baptista sim, foi da minha turma. Creio que eram da Fuzeta. Se ambos se lembrarem de mim ainda, queiram aceitar cumprimentos meus.

Já pedi ao Honorato Viegas que me fizesse a crónica da malta que vinha no comboio de Tunes até ao Largo de S. Francisco, onde começavam a jogar a bola às seis da manhã. Isso deve ter que contar. Quando o João Cuco entrava em Almansil começava a porrada. Quem sabe do João Cuco?..

Falei há das com o Aníbal Verísssimo com quem nunca falei na Escola. Telefonei-lhe e foi muito simpático. Ai vai um abraço ó Aníbal.
.
Outro para o amigo Madeira Guerreiro, um amigo feito hoje.

Aló Rui Nobre Rodrigues, meu caro Dr, hoje a maior celebridade viva da minha terra, os Braciais. O Rui andou a escola primária do Posto lá no mato do Gregório, onde jogamos à bola mais tarde. Dos Braciais são ainda os meus primos Louro Rodrigues, o Zé e o Toy.

Quem sabe onde para o Zaralho. Grande pontapé que o homem deu na balsa do polícia. Lá se foram os pratos. Cadé o homem...

E da malta da pesada quem sabe coisas e quem sabe deles, do Zeca Basto, Alfredo Pedro, Júlio Piloto, Nuno, Malaia, João Parra, Reinaldo Neto, Ezequiel, Valdemar (que foi para Silves), Justo Sousa, Orlando (Pessoa), Vitélio, Fernando Palminha, Alberto Rocha e Zé Emiliano, Bernardo Estanco, Zé Elias, o Bernardino, o Zacarias, o Vinebaldo Charneca .... e...

E O MAIOR DE TODOS

O maior, para mim, é o Mauricio Severo ...
Amigo valente, homem bom e respeitador.
Ainda hoje mantém aquele seu ar austero
Mas é um homem de grande talento e valor

Aló Maurício aqui vai um abraço para ti ..
E fala-me aí das sementeiras ó lavrador ...
Já sabes ...O que faltar na quinta eu levo ai
Porque tu da minha consideração és credor

Tu, que tanto sabes o que é debitar e creditar,
Ou ir a um torno e um parafuso fabricar...
Porque és o tal costeleta duas vezes cursado

Meu velho amigo aceita esta mensagem
Como sinal do aumento da camaradagem
Verdadeira, do amigo sempre ao teu lado.

Texto de

João Brito Sousa

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O NOME DA CIDADE DE FARO


O NOME DA CIDADE DE FARO

O primitivo nome OSSÓNOBA deriva da expressão fenícia OSSON ÊBÁ, armazém no sapal, e reporta-se ao período em que é estabelecido um entreposto comercial no morro da Sé, ou seja, por volta do séc. VIII aC

Durante o período romano desenvolveu-se na cidade uma importante comunidade cristã ligada ao culto de Santa Maria. A designação de SANTA MARIA DE OSSÓNOBA surge no séc. V com a conquista visigoda e como resultado da cristianização da cidade.

O nome OSSÓNOBA prevaleceu no início da ocupação árabe, referindo-se tanto à cidade como à região, podendo transcrever-se de três formas distintas: UKXUNBA, UKXUNUBA e UKXUNYA.

Durante as revoltas moçárabes do séc. IX, o termo OSSÓNOBA desaparece, prevalecendo o de SANTA MARIA ou SANTA MARIA DO OCIDENTE, em oposição a Santa Maria do Oriente, junto a Valência. .

Após o governo de Said Ibn Harun na Taifa de Santa Maria, no século XI, a cidade passa a designar-se SANTA MARIA IBN HARUN.

Ainda antes da conquista da cidade por D. Afonso III, várias designações lhe são atribuídas por Cruzadas que se dirigiam à Palestina SANCTA MARIA DE HAYRUN, SANCTA MARIAM DE PHARUN, SANCTA MARIA DE FARUN, HIRIN, HAIRUN, PHARUN, FARUN..

No séc. XIII os portugueses designam a cidade por SANCTA MARIA DE FAARON ou SANCTA MARIA DE FAARAN.

Nos séculos XIV a XVII o nome da cidade evoluiu para FAROM, FAROO e FARÃO.

Finalmente, no séc. XVIII a cidade adquire o seu nome actual- FARO.

João Brito Sousa

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

39ºs. JOGOS FLORAIS INTERNACIONAIS DE NOSSA SENHORA DO CARMO - FUSETA 2009


António Isidoro Viegas Cavaco


Transcrevemos na íntegra o conteúdo do correio electrónico recebido da Maria José Fraqueza
Estimado Amigo Costeleta Rogerio

Estou enviando em anexo um Regulamento dos Jogos Florais Internacionais da Fuseta que decorrem há mais de 40 anos. O nosso saudoso colega Honorato Ricardo quando eu regressei à Fuseta, passou-me a organização destes Jogos que são os mais antigos do país em rotatividade permanente durante 39 anos, 25 dos quais eu organizo e dei-lhes uma dimensão internacional tendo homenageado através deles poetas do concelho e do Algarve entre os quais destaco o Dr. Joaquim Magalhães que enquanto viveu foi sempre elemento do júri. A seu lado trabalhei durante 15 anos.
O motivo porque envio este Regulamento é porque descobri que o nosso homenageado é costeleta e porque também há muitos poetas costeletas que poderão participar nos jogos florais. A Maria Romana é também uma concorrente destes Jogos há alguns anos, nos quais tem sido premiada.

Com um abraço

A Amiga de sempre

Maria José Fraqueza


39ºs. JOGOS FLORAIS INTERNACIONAIS DE
NOSSA SENHORA DO CARMO - FUSETA 2009

ORGANIZAÇÃO

- A organização destes Jogos Florais cabem à Secção Cultural do Sport Lisboa e Fuseta sob a orientação da sua Directora e à Casa Museu Profª Maria José Fraqueza.
Há mais de vinte anos consecutivos que a Directora do Certame, vem realizando e dinamizando este concurso literário e homenageando através destes, os poetas mais destacados do seu concelho e do seu Algarve.
Sendo seu objectivo, para além do já realizado, homenagear também os poetas algarvios que mais se destacaram nestes Jogos Florais – concorrentes assíduos e em vida destes, porque merecem todo o nosso apreço e carinho. Igualmente procurar enaltecer todos quanto têm colaborado em Portugal e além fronteiras.
Assim sendo, este ano, a escolha recaiu no poetas algarvio, natural de Salir
– ISIDORO CAVACO – considerando o elevado número de prémios por ele obtidos nestes Jogos Florais e pela qualidade do seu trabalho, pela assiduidade permanente com que tem marcado a sua presença, igualmente reconhecido em outros concursos, não só em Portugal como no Brasil, sendo já um destacado poeta algarvio com alguns livros publicados onde revela o seu grande valor.
Isidoro Cavaco - é um exemplo dos poetas que se escrevem com H maiúsculo, não só pelo seu valor da sua poesia, como pelo seu carácter de homem integro, bom companheiro, amigo dedicado.

A Directora Cultural
Profª Maria José Fraqueza

REGULAMENTO

1 – ADMISSÃO

1.1 - O concurso está aberto a todos os poetas nacionais e estrangeiros, desde que se exprimam em língua portuguesa, espanhola ou italiana.
1.2 - Podem concorrer em dois níveis etários (quer sejam jovens ou seniores) mas deverão indicar a idade no exterior do envelope, juntamente com o pseudónimo.

2 - Os trabalhos devem ser inéditos e respeitar
as regras da poesia, nas variantes seguintes:

2.1 – Quadra Popular – tema livre

2.2 -Poesia Lírica (não se admitem sonetos)

Tema: “Enquanto a noite dorme nascem rosas”



(Isidoro Cavaco )

2.3. – SONETO – subordinado ao tema:

“És a Deusa que em versos sempre canto”



(Isidoro Cavaco )

2.4. – Glosando em Quadra ( poesia obrigada a mote ):
Mote:
“Poesia é chama ardente,
É doce, meiga e dorida,
Crepita dentro da gente,
E ateia a chama da vida!,”

(Isidoro Cavaco)


3 – PROSA – Conto ou texto subordinado ao tema:
“HOMENS DE TALENTO”

O texto não deverá exceder 2 páginas. A Apresentação estética deverá ser feita em papel formato A/4 . tipo de letra “Times New Roman” espaço 2, tamanho: 12.

4 – CALENDÁRIO

4.1 - Recepção dos trabalhos - até ao dia 15 de Maio de 2009, carimbo dos correios. A data da Sessão de Entrega dos Prémios, deverá ser levada a efeito no dia 18 de Julho, no decorrer das Festas da Padroeira.

5. – ENVIO DOS TRABALHOS

5.1 - Os trabalhos concorrentes deverão ser enviados pelo correio, sem indicação do remetente, para a seguinte morada:

SECÇÃO CULTURAL SPORT LISBOA E FUSETA
39ºs.Jogos Florais Internacionais de
Nossa.Senhora.do Carmo
A/c Profª Maria José Fraqueza
APARTADO 71
8700 – 908 FUSETA – ALGARVE – PORTUGAL


Para informações complementares:
Telefone: 289 793286
Ou
Mail: zezinhafraqueza@netcabo.pt


5.2 – Variantes: Deverão os trabalhos das modalidades – Lírica, Soneto e Glosa em quadra e Prosa - serem acompanhado de um envelope fechado, contendo no exterior o pseudónimo e a variante a que respeita e no interior a identificação, idade, nome completo e a morada do concorrente. Os concorrentes, deverão indicar o escalão a que pertencem no exterior do respectivo envelope.
5.3 – O número de trabalhos a apresentar será de dois para as quadras populares ( em envelope separadas) e apenas um trabalho, em triplicado, para as outras variantes.

6. DISPOSIÇÕES GERAIS

- Apenas os concorrentes premiados serão
avisados por escrito;
- Os trabalhos não premiados serão destruídos, conservando o autor os seus direitos;
- Os concorrentes premiados deverão nomear em caso de não comparência, um seu representante;
- As despesas do correio para envio aos premiados, serão suportadas pelos mesmos, em caso de não comparência.
- A classificação dos trabalhos será da competência dos elementos do júri que será constituído por pessoas competentes de cujas decisões não há recurso, salvo em caso de plágio ou de trabalho não inédito, devidamente comprovado.
- Qualquer omissão neste Regulamento ou situação imprevista, será resolvida pela Directora Cultural do Clube e Presidente do Júri.

A Secção Cultural
do Sport Lisboa e Fuseta
MINI-BIOGRAFIA DE ISIDORO CAVACO
ANTÓNIO ISIDORO VIEGAS CAVACO, nasceu em Salir (concelho de Loulé) a 6 de Dezembro de 1935. Iniciou-se na Poesia em 1996, e desde então, passou a concorrer com assiduidade a jogos florais e concursos literários, nomeadamente: na Fuseta, onde tem alcançado inúmeros prémios. Tendo sido um destacado concorrente deste certame literário, merece a nossa gratidão e a presente Homenagem pelo prestigio que já alcançou, cuja acção vai além fronteiras.
Colaborador assíduo em rádios locais, colabora activamente em encontros de poetas, em colectâneas, antologias e em diversos jornais. Sócio da Academia Portuguesa de Poetas e do Mensageiro da Poesia.. Sócio fundador da Academia Antero Nobre e da Casa de Cultura Adolfo Macedo, tendo recebido em 1999 - o título de Poeta Trovador do Século XX, atribuído pela Casa do Mestre – Magé - Brasil. Igualmente em 1999 foi premiado no III Concurso da Cidade de Magé – Rio Janeiro – recebendo o prémio do melhor Soneto – concurso onde eu fui honrosamente membro do Júri e poderei comprová-lo.
O seu primeiro livro “Entre o Barrocal e a Serra”, merece os maiores elogios pelo seu amor à terra que o viu nascer e pela excelente qualidade dos seus poemas. Seguiram-se outras obras de destacado valor literário: Sonho e Realidade – Tradicionais – Piadas – Pétalas Douradas – Reflexos da Vida – Ao Sabor da Fantasia – e tantos outros que se seguirão
Alguns dos seus Poemas figuram também em antologias brasileiras. O nosso homenageado é também Costeleta..
A Directora do Certame
APOIOS: Governo Civil do Distrito – Câmara M.Olhão
Junta de Freguesia.Fuseta – Caixa Cred. Agricola

39ºs. Jogos Florais Internacionais
de Nossa Senhora do Carmo
SECÇÃO CULTURAL DO
SPORT LISBOA E FUSETA

Homenagem a

António Isidoro Viegas Cavaco
Fuseta - 2009




Recebido e colocado por Rogério Coelho

UM COMENTÁRIO ANÓNIMO TRANSFORMADO EM POST


NÃO SEI PORQUE RAZÃO MAS GOSTAVA DE SABER

Anónimo deixou um novo comentário na sua mensagem "A MALTA DO 1º / 1ª DE 51/52":

Esta foto foi tirada na década de 50 (fins) ( no recreio das meninas) no 1º ano do ciclo preparatório da Escola Industrial e Comercial de Faro. Eu sou o aluno que está na quarta posição ( de blusão fechado e gravata) na segunda fila a partir de baixo.

Reconhecemos: em baixo - Arsénio, José Feliciano, Cabrita, José Maria, Vaz Velho e Abel.

ao centro - Tempera, Constantino (Tininho), Madeira Guerreiro, Miquelino, Luís Filipe (Lipa), Juvenal, António Machado, Alcídio Cava (falecido recentemente), Chorondo e Brito.

em cima - Rodrigues, Vieira e Terramoto.

Tivemos como professores: Português - Profª Carmona * Matemática - Profª Maria João Gago *Ciências Naturais - Profª Suzete * Desenho - Profª Fernanda* Canto Coral-ProfªMaria Filipa * Educação Física-Prof.Silva Bastos* Religião e Moral-Cónego Falé e Trabalhos Manuais-Mestre Mário.

Caro companheiro Costeleta João Brito Sousa – o meu amigo - tem utilizado indevidamente no blogue dos antigos alunos da escola - uma fotografia que não é da sua autoria ( é da minha turma - já tinha sido publicada e não tem nada a ver com os textos que publica).

Não sei porque razão – mas gostava de saber

MEU COMENTÁRIO

Meu Caro costeleta anónimo,

Nunca pensei que ficasses tão danado por ter publicado a tua foto dos anos 50. A razão que gostavas de ver explicada porque a utilizei é porque pensei que havia espírito de união entre os costeletas e vejo que há franjas onde esse espírito não existe e também por pensar que a foto se adapta ao acontecimento, neste caso aos putos de 52 e ainda por dispor de pouco material.

Que outra coisa poderia ser?

A foto foi retirada para evitar receber comentários desta natureza. Aqui há liberdade para colaborar e construir. . destruir não!...

João Brito Sousa

domingo, 18 de janeiro de 2009

A CASA DO ALGARVE ESTÁ EM DIFICULDADES


A CASA DO ALGARVE ESTÁ EM DIFICULDADES E PRECISAM DO NOSSO APOIO.


VAMOS AJUDAR A CASA DO ALGARVE DE LISBOA


Recebido do costeleta JORGE TAVARES

Boas tardes Rogério

1 - Recebi hoje uma carta, que me foi remetida pela Casa do Algarve, subscrita pelo presidente da direcção Sr. A.E. Mateus da Silva, divulgando a situação difícil porque está passando aquela instituição, não só porque se encontra em instalações provisórias e emprestadas, mas também pela necessidade de aumentar o numero dos sócios, para que a sua vida financeira possa melhorar.

2 - Apela o referido senhor, aos actuais sócios que ainda não paguem a sua quota no escalão de 30.00 euros anuais, que passem a fazê-lo, e que dinamizem entre familiares, amigos o convite para novos associados.

3 - Ocorreu-me sugerir aos administradores do blogue que façam esta divulgação, e tambem que contactem a Casa do Algarve oferecendo-se para colaborar em tudo aquilo que o blogue e os costeletas (na sua grande maioria algarvios) possam fazer em prol desta instituição fundada em 26.02.1930, e com estatuto de utilidade pública.

4 - Contactos: telefone 213423240
fax 213478046
email casaalgarvelisboa@sapo.pt

Um abraço JORGE TAVARES


5 - CONTEÚDO DO MAIL ENVIADO À CASA DO ALGARVE.

Exmos senhores,

BOM DIA,

Tendo chegado até nós informação acerca da vossa situação geral, vimos disponibilizar - lhes o nosso espaço costeleta para alguma acção que entenderem por bem realizar..

Contactos

rogerio1930@gmail.com TM 91 781 37 95

jbritosousa@gmail.com TM 912 066 099


Entretantos colocámos no blogue costeleta
http://oscosteletas.blogspot.com/

Uma nota em forma de apelo, para que se apoie a Instituição CASA DO ALAAGRVE

Publicação de
João Brito Sousa

sábado, 17 de janeiro de 2009

CASA DO ALGARVE

Do nosso associado JC. TAVARES recebemos, pelo correio electrónico, o texto que a seguir reproduzimos:

Recebi hoje uma carta, que me foi remetida pela Casa do Algarve, subscrita pelo presidente da direcção Sr. A.E. Mateus da Silva, divulgando a situação difícil porque está passando aquela instituição, não só porque se encontra em instalações provisórias e emprestadas, mas tambem pela necessidade de aumentar o numero dos sócios, para que a sua vida financeira possa melhorar.
Apela o referido senhor, aos actuais sócios que ainda não paguem a sua quota no escalão de 30.00 euros anuais, que passem a fazê-lo, e que dinamizem entre familiares, amigos o convite para novos associados.
Ocorreu-me sugerir aos administradores do blogue que façam esta divulgação, e tambem que contactem a Casa do Algarve oferecendo-se para colaborar em tudo aquilo que o blogue e os costeletas (na sua grande maioria algarvios) possam fazer em prol desta instituição fundada em 26.02.1930, e com estatuto de utilidade pública.

Contactos: telefone 213423240
fax 213478046
email casaalgarvelisboa@sapo.pt

Um abraço JORGE TAVARES
Recebido e colocado por Rogério Coelho

FORAM E SERÃO SEMPRE COSTELETAS


1 - QUEM SE LEMBRA DELE?


JOÃO VIEIRA ALEXANDRE

Era amigo de toda a gente, particularmente do Firmino Cabrita Longo das Fontainhas. Eram os dois que mais sabiamente davam a volta ao D. Uva. No primeiro dia de aulas do período oferecia-se para ser chamado . Aluno que se oferecesse com o UVA tinha doze. O ALEX tinha o problema resolvido....

O Firmino também fazia mais ou menos isso.

Todos gostavam do ALEX. Era aquilo que se chama vulgarmente um “bonzão” Era grande companheiro do Jorge Barata.

Na primária em S. Luís, nas práticas pedagógicas ainda fui professor de um seu irmão, de nome Alexandre, que parece ser também o nome do Pai. .

Havia outro irmão, costeleta também, de nome Zé Maria, que me parece ter emigrado para França.

Outro companheiro de ambientes do ALEX foi o também já falecido SABINO, o mais velho, ambos funcionários do Sotto Mayor, que cantava o fado e percorriam as ruas de Alfama. e o cacau da Ribeira.

Nas aulas de Contabilidade da Drª Florinda o ALEX ficava sempre cá atrás....

Os Iguaizinhos é que viram ele a fazer os lançamentos.

Uma vez encontrei-o na Papelaria Silva a andar de bicicleta dentro da loja.
ALEX... uma saudade.

Texto de
João Brito Sousa

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

SANTA BA´RBARA DE NEXE



SANTA BÁRBARA DE NEXE


INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL.

É uma freguesia do concelho de Faro, com 37,93 km² de área e 4 119 habitantes (2001). Densidade: 108,6 h/km².
A Terra de Nexe, em pleno Barrocal, entre a Serra e o Mar, com a sua Igreja Matriz altaneira e com vistas deslumbrantes sobre o litoral, caracteriza-se, desde há vários séculos, pela habitação e pequenos núcleos populacionais dispersos. Actualmente também é reconhecida internacionalmente como destino turístico e nas áreas da música (o harmónio) e do trabalho artístico em pedra (profissão de canteiro)

Fica situada no Algarve, entre Loulé e São Brás de Alportel, a 10 km do Aeroporto Internacional de Faro e de várias praias e campos de golfe, é servida pela EM 520 e pelos nós de Loulé - Sul e Faro / S. Brás da A22 Via do Infante. Nos seus limítrofes encontra-se o Estádio Algarve e o Parque das Cidades.

A população ronda aproximadamente 4000 habitantes (INE, 2001), distribuídos por 20 sítios: Agostos, Aldeia, Benatrite, Bordeira, Canal, Charneca, Colmeal, Falfosa, Goldra de Baixo, Goldra de Cima, Gorjões, Igreja, Ladeira, Laranjeira, Medronhal, Palhagueira, Pé do Cerro, Poço Mouro, Telheiro e Valados.

As actividades principais são: Turismo, comércio, restauração, pequenas indústrias, extracção e transformação de pedra, serviços e agricultura..

A presença humana na Freguesia de Santa Bárbara de Nexe remonta à transição do Paleolítico Médio para o Paleolítico Superior (há cerca de 30.000 anos) e aos povos da Pré-História, tendo posteriormente sido também residência e/ou entreposto comercial de Fenícios, Romanos e Árabes. O cidadão mais antigo conhecido da Freguesia é o romano Sexto Numísio Eros, do século II (referido numa lápide funerária local). A mais antiga referência escrita sobre esta Freguesia, ao lugar de “Neixe”, parece ser de 1291 numa delimitação dos Termos (Concelhos) de Faro e Loulé. Refira-se ainda que a construção da Igreja Matriz começou no XIV, no lugar de uma antiga ermida já existente, onde se dizia que “aconteciam milagres” e que era local de romagens regionais. Santa Bárbara de Nexe passou a Freguesia no Século XVI.

De património Cultural, tem:
Igreja Matriz de Santa Bárbara de Nexe - A construção da Igreja Matriz, uma das maiores e mais importantes no Algarve rural, começou no XIV, no lugar de uma antiga ermida já existente, onde eram relatados “milagres” e que era local de romagens regionais. Foi alvo de importantes intervenções nos séculos XVII e XVIII. É um edifício de três naves de cinco tramos, com arcos ogivais suportados por colunas. Um arco triunfal exuberantemente decorado com ramos e troncos, em puro estilo manuelino, separa a nave central da capela-mor, cuja cobertura é decorada por uma abóbada estrelada, de cinco chaves, ligadas por combados em forma de corda. A nave virada a norte possui três capelas, possuidoras de pinturas do século XVI, retábulos de talha barroca e "rocaille. Também se evidenciam vários revestimentos de azulejos de padronagem e um painel de azulejos figurativos que encima o arco triunfal.
Ermida de Santa Catarina dos Gorjões - Templo de origem tardo-medieval (século XV), com uma única nave e capela-mor. É uma ermida de cariz popular e grande singeleza de linhas, de planta longitudinal com contrafortes.
O acordeão em Bordeira, faz deste sítio da Freguesia uma capital de compositores e executantes deste instrumento musical, entre os quais José Ferreiro Pai (a alma do verdadeiro corridinho e o autor do célebre corridinho “Alma Algarvia") e João Barra Bexiga (o filósofo da vida vivida e eterno romântico do acordeão).
A arte da cantaria e os trabalhos artísticos em pedra, com as referências de grandes mestres do século XX: Anicetos de Bordeira, nomeadamente Dionísio Aniceto, João madeira e Tomás Ramos.
Moinhos de vento e poços de água ancestrais.
As Charolas são a manifestação cultural mais tradicional e genuína da Freguesia de Santa Bárbara de Nexe, sendo únicas na região no improviso e na ausência de simbologia religiosa. Nos primeiros dias de cada ano, grupos de homens e/ou mulheres, acompanhados de instrumentos (acordeão, castanholas, pandeiretas, ferrinhos e por vezes clarinete e saxofone), actuam em Festivais em Santa Bárbara de Nexe, Bordeira e arredores, casas particulares de amigos e nos cafés da zona, entoando cantigas e lançando quadras improvisadas (“vivas”) saudando o ano novo e os amigos, num clima de amizade, alegria e alguma crítica social e política. As Charolas da Terra de Nexe, em meados do século XX, atingiram os mais altos patamares da música centrada no acordeão com a participação dos mestres acordeonistas bordeirenses José Ferreiro Pai e João Barra Bexiga, assim como da poesia popular com a participação de grandes poetas populares como António Aleixo e Clementino Baeta.

No Barrocal algarvio, entre o mar e a serra, a Terra de Nexe é um autêntico anfiteatro natural mediterrânico nas primeiras encostas da Serra de Monte Figo, com vistas deslumbrantes sobre a Ria Formosa e o Oceano Atlântico, muito apreciadas pelos turistas.

Artesanato de empreita, abegoaria, cantaria de pedra e pedra artística, doces de amêndoa e figo.

Percursos pedestres, a partir de vários pontos da Terra de Nexe, tendo os ancestrais moinhos de vento como referência, por caminhos rurais antigos, permitem deleitar-se com a flora e fauna mediterrânica, paisagens deslumbrantes e o património antigo dos moinhos de vento e poços de água.

(texto retirado da net)

João Brito Sousa

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

ANIVERSÁRIO DE ASSOCIADOS COSTELETAS

Fazem anos em Janeiro
16-Isabel Maria Lopes Roberto Coelho; Maria da Conceição T. Santos Maurício; Maria Celina Pereira Nunes Inácio. 17-Fernando Lopes Oliveira; Maria de Lurdes Borges Mendes. 18-Alda Conceição Lopes; Manuel Afonso Ramires; José Sousa Pereira. 20-Irene Duarte Louro. 21-Fernando Guerreiro Mendonça; José Eduardo Sousa Maurício. 22–Manuel Ricardo Anselmo. 23-José Afonso Martins de Sousa; Carlos Alberto Brito Louro Rodrigues; Jorge Seromenho Florentino. 25-Honorato Manuel Gonçalves Viegas; Joaquim Carlos Rocha Vieira; Maria Paula de Sousa Cabecinha; Emilia de Jesus Roberto Cansado; Bartolomeu Neves Caetano. 27–Lutília Neto Gonçalves Rocha; Reinaldo da Encarnação Moreno. 28-Joaquim Pereira Alves. 29-José Martins Palma; Constância Isabel P. Vieira; Francisco Arnaldo G. Gonçalves; Manuel Duarte Silva; Eugénia Maria Figueira Guerreiro. 30-Aníbal Guerreiro Correia; Armando Martinho Romão. 31-Maria Manuela Dias Jesus Simão; José Luís Vieira Fernandes Soares; João Manuel Jacinto Mateus.

Os nossos PARABÉNS

Pesquisa de Rogério Coelho

VIVAM OS COSTELETAS




1 -Ao EDMUNDO FIALHO

Fiquei muito agradecido pela colaboração simpática que tens dado a blogue. Facilmente percebeste o que é que nós queríamos, contar umas histórias de outros tempos.

Essa história desse tipo que tu conheceste aí é muito engraçada pela forma como aconteceu.

Tenho falado em ti á malta e muitos se lembram de ti., como o Manuel José Guerreiro de Paderne, o Fernando Palminha de Boliqueime, o Alfredo Teixeira das Fontainhas, o Vitélio do Cerro de Ouro, o Zé Contreiras da Senhora da Saúde, o Luís Isidoro de Estoi, o Guy de Albufeira, o Zé Emiliano de Estoi e o Alberto Rocha de Santa Catarina da Fonte do Bispo..

Aí vai um abraço do
João Brito Sousa

Ao MARIGUESA

Meu caro amigo,

O ZE MANUEL MARIGUESA veio da Escola de Silves onde foi aluno do TAVARES a Ginástica para a Escola Comercial e Industrial de Faro, anos 60, onde fez as secções preparatórias para os Institutos, sempre com notas altas

Fez o Curso do Magistério Primário com o Professor Zé Lopes e o Professor Chaparro e depois fez a licenciatura em Lisboa no ISCEF em Economia, com uma nota brilhante no tempo do. Herlander Estrela e do Octávio Teixeira, do Varela.e de outos craques.

Trabalhou no Banco do Fomento com o Herlander e com o Dr. Gelásio Pires, já falecido.

Presentemente está em BRUXELAS.

É natural da MEXOLHOEIRA GRANDE.

Deixo-lhe um abraço.

João BRITO SOUSA

UM POUCO DE ESTÔMBAR.


A vila de Estômbar é uma das mais antigas freguesias do Algarve. Encanta-nos pela silhueta da brancura do seu casario, figurando no concelho de Lagoa como o mais mourisco dos aglomerados urbanos.


Sanabus, designação da actual vila de Estômbar no tempo da ocupação árabe, constituindo importante centro no interior de um castelo chamado Abenabeci, que as tropas de D. Sancho I conquistaram por alturas de 1191.


Nesta bonita terra de contrastes, viram a luz do dia figuras importantes, que ficaram para sempre na história, desde poetas como Ibne Ammar, aos heróis, como o lendário Remexido, para além de nobres personalidades da fidalguia e clero.


Dada a sua privilegiada localização, Estômbar foi outrora, centro económico de grande prosperidade. Baseada numa economia essencialmente agrícola, Estômbar passou a ganhar notoriedade e riqueza com o incremento das actividades ligadas à exploração do sal e ao tráfico comercial no Rio Arade.


Porém, é com a dinamização dada à Industria Conserveira que a freguesia se expande, ganhando novos aglomerados populacionais e novas fontes de rendimento. Com a decadência das referidas actividades, a povoação foi encontrando noutras o seu ganha-pão.


Actualmente, a vila de Estômbar conta com um pequeno tecido empresarial ligado à construção civil e às obras públicas, reflexo do principal impulsionador do desenvolvimento económico do concelho (turismo).


Apesar de sofrer os efeitos da interiorização, Estômbar encontra-se dotado de modernas infra-estruturas e equipamentos ligados à saúde, ao ensino, ao lazer, visando a qualidade de vida dos seus residentes.


Texto retirado da net por
João Brito Sousa

QUEM SABE DELES

CARLOS ALBERTO MAGALHÃES VIEGAS (do quiosque Vieguinhas)

E

ANTÓNIO VERDELHÃO na Alemanha.

Queremos estes dois homens no almoço anual de JUNHO deste ano.

CARLOS ALBERTO E VERDELHÃO

Venham rapazes, venham até cá.
A gente espera-os, o João Cuco vem.
E tu ó Vitélio vê se este ano vais lá
O amigo Alberto Rocha está também.

Vamos fazer um teatro, tu ó Verdelhão
Fazes de Dr. Passos e dás aula de inglês
O Carlos Alberto entra de livro na mão
É o Andorinha a dar uma aula de francês

E entra também o grande Maurício Severo
E o Rogério corrige os teste vai tudo a zero
E depois o Mariguesa com o olhar no chão

Entra e faz de Dr Uva e... há algum voluntário
O Cheira diz que não lá de dentro do armário
Venham CARLOS ALBERTO e VERDELHÃO.

texto de


João Brito Sousa

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

CORREIO COSTELETA

À boa maneira do Jorge Tavares

Comentário ao texto "FARO cidade costeleta"

1 - Foi com perplexidade que constatei ter sido publicado na página principal do blogue, o meu comentário ao texto supra referido - facto que não compreendo, pela sua raridade ou quase exclusividade -, mas com muito mais estranheza verifiquei que a foto da "ministra" foi substituida por 3 outras fotos.

2 - Esta substituição é incorrecta, porque não permite aos leitores do blogue entenderem o meu comentário, desvirtuando desta maneira as regras do "jogo".

3 - Deverá ser realçado em posterior escrito que a frase "é a ministra sim! ", não é da minha autoria, mas a resposta ao meu comentário.

4 - Aproveito para inisistir na pergunta, por falta de resposta: "A ministra é costeleta???"

JORGE TAVARES



MEU COMENTÁRIO


1 - Não é raridade nem exclusivdade nenhuma, faço isso muitas vezes, ou seja, comentários onde reconheça qualidade, transformo-o em post. Como a Ministra não é costeleta retirei-a e coloquei três fotos costeletas.


2 - Aceito a observação e, para os que só agora chgaram ao blogue, direi que onde estão três fotos costeletas, estava anteriormente a foto da Ministra da Educação.


3 - Fui eu que escrevi a frase "È A MINISTRA SIM" em resposta ao comentário do Jorge Tavares.


4 - A Ministra é costeleta? Penso que não.


Para todos um abraço do

João Brito Sousa

CORREIO COSTELETA


RECEBIDO DO EDMUNDO



Caro Brito,

Eu lembro-me muito bem do Zé Palminha, que era de Marim e um grande amigo meu.

Aqui vai uma pequena história, relacionada com ele:

Em 1972, fiz uma viajem de carro, de Montreal (Canadá) a Cape Code ( Estados Unidos) com a minha mulher e filha. Chegando a Province Town, vi um Poilicia a quem perguntei, em inglês, pela direcção de um Hotel. Pelo meu sotaque, ele notou que eu era Português e começamos a falar. Conversa, puxa conversa, ele disse-me que era de Olhão, tinha chegado a este lado do Atlântico, com 16 anos, que tinha andado na Escola Industrial e Comercial de Faro e.... na Industria.

Aqui tive um "toque" na orelha, e perguntei-lhe se ele conhecia o Zé Palminha .Surpresa e resposta imediata: Foi meu mestre ! Foi uma alegria que acabou a falármos dele, numa Pastelaria Portuguesa, com um bom galão e um pastel de nata. Como o Mundo é pequeno.

Um amistoso abraço,

Edmundo G. Fialho

P.S. O José Julio era, como eu, da Luz de Tavira . Aproveito esta oportunidade, para dar os meus sentidos pêsames à Família, que tive o previlégio de conhecer.

Ao Edmundo.
Bonita história e manda mais.
ab
JBS

COMENTÁRIO COSTELETA

À BOA MANEIRA DOJORGE TAVARES


"Jorge Tavares -1950/1956 deixou um novo comentário na sua mensagem "FARO A CIDADE COSTELETA":

A foto que antecede este texto, é duma ex-colega, portanto costeleta?
Confesso que não me lembro desta cara na escola, e reconheço nela algumas parecenças com a ministra da educação.
Se é a ministra, confesso que não sabia que tambem era costeleta... será mais um elemento dos nossos de quem nos devemos orgulhar?"

È A MINISTRA SIM!....


JBS

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

FARO A CIDADE COSTELETA











FARO A MINHA CIDADE

Tenho saudades da cidade de Faro, da rapaziada que deixei de ver. Não fui tropa portanto a Escola Comercial e Industrial de Faro, é o lugar onde conheci os meus amigos de hoje. Lembro-me dos professores todos, ou quase.

1º ANO ciclo preparatório

Português - Drª Ausenda, 10 no primeiro periodo
Ciências - Drª Conceiçaõ Sintra , 8
Matemática - Drª Suzete 9
Desenho - D. Fernanda, 8
Trabalhos carpintaria, Mestre Mário e Mestre Roseta, 9

já faleceram dessa turma o ANTÓNIO MANUEL RAMOS JOSÉ

e JOSÉ JÚLIO NETO VIEGAS

Gandes amigos,

LUÍS JOSÉ ISIDORO

Todo o 1º ano 1ª Turma de 52

MANUEL JOSÉ GERREIRO COELHO

JORGE VALENTE SANTOS

JOSÉ MANUEL PIRES

LEONEL

MAIS QUINHENTOS

mais o

MAURÍCIO SEVERO

Aló Estoril... terra dos bons ares
Um dia destes vamos de excursão
À tua quinta onde tens os pmares
Vamos quarenta mais o garrafão

Quem quiser ir é neste verão
O Maurício tem lugar para a assada
A gente diz os costeletas que são
E ele prepara a bela sardinhada

Para cantar o fado vai o Rogério
Que canta aquele fado do mistério
Do Rei que lá estava embuçado ....

Não te assustes que é brincadeira
Levamos a vida desta maneira
E passamos assim um bom bocado.

JBS

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

PARA O ARNALDO SILVA


UM ABRAÇO E VOTOS DE RÁPIDAS MELHORAS DO COSTELETA MAURÍCIO.

Mensagem "AO ARNALDO SILVA":

Um Abraço.O teu soneto não me passou des-percebido ! . É um bálsamo, que só tu sabes dar com a tua poesia, a esse nosso amigo e Costeleta que sofre e bem precisa de recompor-se. Não conheço o Costeleta ArnaldoSilva, mas é um dos nossos e da minha parte também vão os votos para que restabeleça rápidamente a saúde.

Bem haja João.

O teu poema irá certamente suavizar o sofrimento desse noss amigo e Costeleta.
Um abraço mais do MAURÍCIO S. DOMINGUES


OBRIGADO MAURÍCIO
UM POEMA

AO COMBATENTE MAURÍCIO

Agora é que me lembro dela! ...
a vida é uma tarde florida ...
Que enquanto fui à janela
Resultou numa tarde perdida.

A vida é um único momento
Aquele momento que sorri
Depois de tanto sofrimento
De todos os momentos em si.

Teus olhos verdes me chamam
E os meus sentimentos sonham
Estar vivos por dever e ofício...

Agora que a vida está viva
Não te preocupes com a partida
Mas com a honradez do Maurício.

Um abraço para o Maurício econtinuação dasmelhoras doArnaldo Santos Silva, o velho "GOUBEIA"

publicação de
João Brito Sousa

A MALTA DO 1º / 1ª DE 51/52

O JOÃO ANTÓNIO SARES REIS

é de Cacela e foi do meu primeiro ano primeira turma de 52/53. Nunca mais o vi desde que saí da Escola em 61.
Encontrei o número de telefone dele aqui na net e hoje falei com ele. Diz que se lembra de muita malta dessa nossa turma com especial relevo para o Reinaldo Neto, que era bom para a punhada, do Zé Pedro Soares, o Fuzeta bom para a porrada também, do João dos Santos, o Santa Luzia, igualmente bom para a porrada e do Ivo Pacheco também lixado para a porrada.

No almoço da Escola em Junho passado conseguimos juntar dessa turma o Zé Bartilio, o Humberto Gomes, o Vieguinhas, o João Bica, o Xico Gabriel Cabrita que veio expressamente dos EUA e o Reinaldo Neto e eu, sete.

Já disse ao Jorge Amado, ao Joaquim Cruz, ao Quicas, ao Zé Marcelino que gostava que estivessem connosco no almoço anual deste ano.

Aló Soares, João dos Santos, Celinho o chefe de turma, Herlander Estrela, Teófilo Primitivo, Arrais Custódio, Ivo Pacheco venham todos digam coisas , o meu TM é o 96 373 64 04.

Aí vai um abraço do Sares Reis para o Olímpio e para o Renato Mendonça e para toda a malta do 1º ano 1ª turma de 52/53.

E já agora para todos um abraço do
JBS

domingo, 11 de janeiro de 2009

AO ARNALDO SILVA


AO ARNALDO SILVA,

que está doente

ALÓ AMIGO

Como vai a coisa ó camarada! ...
Um amigo comum hoje falou
Que a coisa estava complicada...
É verdade o que ele comunicou?

Vamos todos torcer por ti
Companheiro e colega de quarto
É que não te temos visto aqui
E da vida nunca te vi farto

O que sempre nos revelaste
Foi amor pela vida; isso demonstraste
Com as tais gargalhadas sonoras

Onde havia uma sombra lá estavas
No exame sabias tudo porque estudavas
Ai vão os votos de rápidas melhoras.
JBS

sábado, 10 de janeiro de 2009

FORÇA ZÉ GONÇALVES

(o Zé é o último que está agachado em frente ao Rodrigues o guarda redes)















ESTE TEXTO É PARA O ZÉ GONÇALVES

AMIGO, FICA....

Quando eu cheguei à Escola em 1952 já o Zé Gonçalves andava no 2º Ano 4ª Turma, com o Ladari, o Manuel Dias, o Ribeirinho, o Seromenho, o Fantasia (o que soltou os pintassilgos), o Fontainhas, o Amarante (talvez) e outros.

Nunca tive uma grande relação com ele porque andava um ano à minha frente. Mas o Zé era um rapaz talhado para o desporto. A jogar fosse o que fosse, futebol, andebol, ping pong, basket, tudo ... o Zé era o maior

Talento às carradas, jogou futebol no Farense, a dez, com o Coutinho à ponta esquerda e o Farense na segunda parte deu seis ao Montijo, talvez a sua melhor exibição. Grande jogatana. .Sabia tudo de futebol, fazia aberturas com a bola pelo chão com tal sabedoria e arte, que contagiava a assistência.

Foi júnior do Farense com o Atraca e o Capitolino e outros....

O António Barão deixa-lhe aqui um abraço e votos de rápidas melhoras. António, o Zé, perguntei-lhe. No desporto era o maior em tudo...

Nuno Agostinho, fica Zé, joguei com ele na Farauto, um verdadeiro talento.

Todos os que fomos seus colegas aqui deixamos um grito: ZÉ, O TEU LUGAR É ENTRE NÓS.FICA ZÉ.....

Texto de
João Brito Sousa

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

INFORMAÇÃO DE ÚLTIMA HORA




S.C.FARENSE
Equipa de futebol da Escola onde não me lembro o Zé ter jogado mas que tinha lugar indiscutivelmente. Estes grandes jogadores estão com o Zé. São eles, de pé, da esquerda para a direita: MALAIA, GRALHO, PINTO FARIA, JULIÃO, PROF. AMÉRICO, JACINTO FERREIRA, JÚLIO PILOTO E ZECA BASTO. Em baixo, da esquerda, CAEIRO, NUNO, PARRA, ORLANDO BICA E EUGÉNIO.

Do nosso associado J.C.Tavares recebemos, via electrónica, a seguinte informação que transcrevemos na íntegra.

Meu caro Rogério,

Estive todo o dia numa acção de formação fora de Faro e não me foi possível escrever mais cedo.Tive ontem conhecimento, já tardiamente, que o nosso costeleta José Gonçalves (grande e habilidoso jogador de futebol) está hospitalizado em Faro com bastante gravidade, sem grandes esperanças de retorno, (só milagre). Esta divulgação poderá "ajudar o Zé" se tivermos um pensamento colectivo, dando-lhe força e aos seus familiares para ultrapassarem esta difícil situação.

Um abraço JORGE TAVARES

Vamos todos desejar que o "Costeleta" José Gonçalves ultrapasse e se recomponha rapidamente.

Zé, espero estar contigo no próximo Verão na nossa praia de Faro.

Rogério Coelho

CHEGOU A HORA DO COSTELETA


JOSÉ JÚLIO NETO VIEGAS DE SOUSA, o Julinho

Era natural do LIVRAMENTO ou LUZ DE TAVIRA e um bom companheiro. Já não o via há tempos mas tinha notícias dele.

Foi o meu primeiro parceiro de carteira na sala 18 do 1º andar na Escola Comercial e Industrial de Faro.

Em representação da malta do 1º ano 1ª turma do Ciclo Preparatório de 1952/53 e de todos os costeletas, se me permitirem, aqui deixo, para o amigo Julinho, um voto de boa viagem e que repouse em Paz.

E sentidos pêsames à família.

Texto de
JBS